Olá visitante, seja bem vindo(a).

Melhora o fluxo sanguíneo na hemodiálise

Melhora o fluxo sanguíneo na hemodiálise

A capacidade da magnetoterapia efetivada pelo infravermelho longo em inibir a inflamação pode ter um papel crítico na preservação do fluxo sanguíneo e das fístulas arteriovenosas

Regulação efetiva na inflamação vascular

Em 2009, Su LH et al. estudaram a aplicação de infravermelho longo em pontos de acupuntura em pacientes renais crônicos realizando hemodiálise. Os resultados deste estudo mostraram que a terapia com infravermelho longo diminuiu significativamente tanto o estresse como os níveis de fadiga destes pacientes. A terapia também estimulou as atividades do sistema nervoso autônomo destes indivíduos. Os benefícios da aplicação do infravermelho longo nos pacientes renais crônicos recebendo regular hemodiálise, portanto, são claramente demonstrados neste estudo preliminar.

Em outro estudo também já citado anteriormente com mais detalhes, Lin CC, et al., 2008 (6) avaliaram efeitos específicos do infravermelho longo na regulação da inflamação vascular, que geralmente está associada a falhas na fístula arteriovenosa em pacientes realizando hemodiálise. Células endoteliais humanas foram expostas à radiação de infravermelho longo de 3 a 25 mícrons, por tempos variados de 0 a 40 minutos.

Os pesquisadores observaram significativos efeitos na atividade anti-inflamatória nas células estudadas, diretamente ligadas ao tempo de estímulo do infravermelho longo. A capacidade da terapia de infravermelho longo em inibir a inflamação pode ter um papel crítico na preservação do fluxo sanguíneo e das fístulas arteriovenosas de pacientes em hemodiálise.

Lin CC et al., 2007 avaliaram os efeitos da terapia de infravermelho longo no acesso sanguíneo e obstrução de fístulas arteriovenosas , estudando um total de 145 pacientes em hemodiálise , divididos em grupo experimental e grupo controle. O grupo experimental recebeu aplicação de infravermelho longo de 5 a 12 microns por 40 minutos, e os parâmetros hemodinâmicos foram avaliados no início e ao final do estudo.

Foram constatadas mudanças no acesso sanguíneo em uma única sessão de hemodiálise seguida de tratamento com infravermelho longo, e que foram significativamente mais altas que no grupo controle. Em comparação com o grupo controle, os pacientes que receberam a terapia de infravermelho longo por 1 ano tiveram mais baixa incidência de falha na fístula arteriovenosa e mais altos valores nos parâmetro de acompanhamento do acesso sanguíneo.

Em conclusão, os autores afirmam que a terapia de infravermelho longo é uma modalidade terapêutica conveniente e não-invasiva, que pode melhorar o acesso sanguíneo e sobrevida das fístulas arteriovenosas em pacientes em hemodiálise, tanto por meio de efeitos térmicos como de não-térmicos.

Referências dos estudos científicos:

Su LH, et al Effects of far infrared acupoint stimulation on autonomic activity and quality of life in hemodialysis patients . Am J Chin Med. 2009;37(2);215-26.

Lin CC et al., Far infrared therapy inhibits vascular endotelial inflammation via the induction of heme oxygenase-1. Arterioscler Thromb Vasc Biol. 2008 Apr;28(4): 739-45.

Lin CC, et al., Far-infrared therapy: a novel treatment to improve access blood flow and unassisted patency of arteriovenous fistula in hemodialysis patients. J Am Soc Nephrol.2007 Mar; 18(3); 985-92.

Deixar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *